domingo, 3 de fevereiro de 2008

Macabéia sente-se entediada com a rotina alucinante dos dias, observa pela janela do ônibus as pessoas, e pensa sobre a felicidade. Brinca de inventar poesia, e ri com que escreve...

Das Gentes

Você se sente assim feliz.
Feliz com a vida...
Acorda todo dias 07h30min.
[07h30min]
Corre para pegar o coletivo.
Almoça [as 12h00min horas]
Não que tenha fome.
Mais é horário do almoço.
Olha o relógio a cada minuto.
Minuto.
18h00min sinaliza o relógio.
Fim do expediente.
E você se sente feliz!
Chega em casa, trepa com a mulher.
Não por desejo!
As cochas dela já não te atraem mais.
Mais normal, nada que não se acostume.
Por que você se sente...se sente feliz...
Jogo de futebol na quarta.
Festa da empresa final do mês.
Todo esquematizadinho.
Nada de novo, nada de intenso.
Mais o que importa é saber que amanhã....
Que amanhã será tudo igual!
Igualzinho
Comer, trepar, trabalhar.
Trabalhar, comer, trepar.
É isso que importa.
Você finalmente conseguiu.
Conseguiu se adequar.
Agora faz parte das gentes.
Das gentes que é Feliz!

Ao reler o poema, sente-se extremamente não-feliz por estar atrasada para o trabalho, e com os cabelos por pentear...

2 comente ...:

costadessouza disse...

caçar dinheiro
caçar dinheiro
caçar dinheiro
caçar dinheiro
caçar dinheiro

caçar mulher
caçar mulher

caçar dinheiro
caçar dinheiro
caçar dinheiro
caçar dinheiro
caçar dinheiro

Tá cansado? Muda de agenda!

Polly disse...

E né isso?!?
E é por essas e outras que mando uma do Manoel de Barros:

"A maior riqueza do homem é a sua incompletude.
Nesse ponto sou abastado.
Palavras que me aceitam como sou — eu não aceito.
Não aguento ser apenas um sujeito que abre
portas, que puxa válvulas, que olha o relógio,que
compra pão às 6 da tarde, que vai lá fora,
que aponta lápis, que vê a uva etc, etc.
Perdoai.
Mas eu preciso ser Outros.
Eu penso renovar o homem usando borboletas."

Beijinhos : )

Ei, dá uma olhada numa postagem que fiz no meu blog: http://pollyfonica.blogspot.com/2008/01/prmio-escritores-da-liberdade.html